quinta-feira, 13 de novembro de 2008

A palavra - Carlos Drummond

Dica: cliquem na imagem para poderem ler o poema com a caligrafia de Drummond. Algo especial... Para saborearem junto conosco...
http://abaixodezero.blogspot.com/2007/05/palavra-de-carlos-drummond-de-andrade.html Acesso em novembro de 2008

4 comentários:

Célia Ribeiro disse...

Adrana,
Adorei essa série a respeito da palavra que você organizou.Lindo!!!
e dinãmico.

Adriana Hoffmann disse...

Obrigada Célia!!
As palavras ditas, escritas, pensadas, lidas trazem sempre muito para nós, pelo excesso ou pela falta... Mas o que seria de nós, sem elas, as palavras, não é?
Beijos,
Adriana

Silvia disse...

Drummond (1997:43)diz mais!
A palavra mágica
"Certa palavra dorme na sombra
de um livro raro.
Como desencantá-la?
É a senha da vida
a senha do mundo.
Vou procurá-la.
Vou procurá-la a vida inteira
no mundo todo.
Se tarda o encontro, se não a encontro, não desanimo, procuro sempre.
Procuro sempre, e minha procura
ficará sendo
minha palavra".

Adriana, obrigada por oportunizar esta deliciosa reflexão pois a beleza das palavras está justamente em sua fluidez, sua polissemia.
Assim sendo, quero partilhar da procura com vocês e Drummond.
Um beijo carinhoso.

Adriana Hoffmann disse...

Silvia,
Você acredita que era essa a poesia de Drummond que eu procurava? Na sua falta achei outra... Mas como essa dele
para falar sobre as palavras não tem igual!! Obrigada por me mandar essa de novo! Essa "palavra" que eu já tinha perdido e reencontrei pelas suas mãos...
Obrigada!!
Adriana